I write about you everyday.

type us

Às vezes me sinto perturbada por todo esse amor que sinto por você, e a saudades dói. Pois lembro que esse amor tão presente, que é sempre tão forte, não está aqui.

Confio em nós sem pestanejar, mesmo sem saber o que realmente irá acontecer, acredito no encontro de almas. E nós já nos trombamos por ai.

Também sei que não é por agora que nossos caminhos voltarão a cruzar. Perdi-me de mim e estou a me buscar, assim como desconheço quem te tornou. Talvez o cosmos esteja esperando eu entender quem me tornei para poder te conhecer novamente.

Ou talvez, eu esteja esperando você me encontrar.

E do nada, um reencontro será apenas um encontro. Como se aquilo que passou fosse uma vida passada, e o agora seja novo, mas com a certeza que já nos amamos antes de saber que era amor.

Tão morta por dentro.

dead inside

Ela caminha por ai com os cabelo ao vento, o passo pesado e os olhar sem vida.

Ela não sabe por onde caminhar, mas continua andando. Quem sabe lá na frente encontre respostas.

Quem diria que Ela não saberia o que fazer?

Todos os dias é a mesma luta contra seu coração e sua intuição. Ela só quer morrer, mas deixar tudo agora significa perder a melhor parte lá na frente.

Esse caminho está tão longo, talvez o coração não aguente.

A vida não tem mais graça. Ele sugou toda alegria que havia nela.

Ele levou tudo. A alma, o coração e a vontade. Nada mais faz sentido.

Viver em um mundo em que até quem Ela ama é cruel, não vale a pena.

Então Ela está tentando construir um mundo dentro de si.

Quem sabe assim consiga levar mais um tempo por aqui.

 

Life works in some mysterious ways.

cute

O wordpress está aberto há quase 7 horas. Tudo o que quero dizer já foi escrito de várias formas e tons, mas tudo foi pro lixo. Já comentei que vivo uma fase de mudanças internas e a reflexão é constante. Tudo em mim está tão mutável que as ideias se confundem.

A fase é de mudança e o desejo é de estabilidade. Fiquei perturbada tentando conciliar os dois sentimentos, mas enfim encontrei o ponto de encontro. O que está mudando é o emocional e a visão sobre a vida. A estabilidade é sobre o cotidiano, é físico. É para poder internamente me encontrar.

Foi refletindo sobre alguém que amo e me preocupo muito, porém não está mais ao meu lado, que percebi que somos tão parecidos e conectados que estamos passando pelas mesmas mudanças. Mas um não lida bem com a do outro, um não CONSEGUE lidar com outra mudança, pois precisa cuidar de si.  ELE percebeu antes de mim e foi cuidar da alma da maneira que podia.

Entendi agora: é preciso deixar o ciclo fluir. Não há como acelerar ou retardar. No momento nada mais importa, é preciso cuidar de si e da alma. Mesmo que seja na simplicidade e apenas repousando.

Nessa vida moderna, capitalista e acelerada, somos instigados à procurar mudanças que nos levem sempre para frente o mais rápido possível. Contudo, é só quem já chegou na extremidade do fim do poço que sabe: as vezes, é melhor estar estagnado em uma situação confortável que sofrer tentando avançar. A luta do dia a dia é cansativa, e lidar com os próprios pensamentos e coração é difícil.

Então percebi que para no futuro conseguir avançar, agora preciso recuar. E isso se aplica a tudo. Eu preciso viver como antes com a experiência do agora. Apenas por um tempo até ter estabilidade emocional e força para enfrentar uma nova empreitada.

Sempre me orgulhei de ter certeza das coisas que quero na vida e focar em realizá-las. Mas o momento é do mantra que me trouxe até aqui viva e lutando pela felicidade. O momento é daquele episódio dos Ursinhos Carinhosos de onde tirei o maior ensinamento da vida. “Devagar e sempre”. E mais que nunca eu preciso ir… devagar e sempre.

Procurar um abrigo confortável para viver uma temporada, não significa deixar meus planos para trás. Significa que preciso de um cotidiano simples para respirar. E então, na calma continuar com os planos.

Foi reconfortante perceber minha própria vida com novos olhos. E foi calmante entender que ELE sacou isso antes. Eu preciso acalmar meu coração e me preparar. Não são todas as pessoas que conseguem correr sem pausar. Às vezes, tudo que precisamos é aquela paradinha pra respirar, tomar uma água e olhar bem pro caminho. Perceber tudo o que passou e agradecer. Respirar novamente e voltar para a rota caminhando para poder apreciar cada momento. O parar é necessário para mudar o olhar, o parar é preciso para ver o que realmente importa.

Nunca fui ingrata, muito pelo contrário. Sempre ressaltei a sorte de ser quem sou e ter quem tenho ao meu redor. Mas me faltava entender como e porquê certas coisas aconteceram na minha vida. E cada segundo entendo melhor o significado de GRATIDÃO.

E é por ser grata pela minha vida como ela é que preciso parar de correr agora. Sem mais análises e questionamentos. Apenas parar e protagonizar uma rotina simples, sem anseios ou ambições.

Eu preciso acalmar meu coração.