.desapego II.

Eu preciso resolver esse negócio de desapego logo. É horrível quando vc tenta seguir a vida e até já desencanou mas certas imagens, certas situações pulsam na mente. Eu sei me convencer das coisas e por mais trabalhosos que seja eu estou conseguindo várias melhoras. O problemas é esse (in)consciente eternmente apaixonado. Não rola mais, não tem como!

No fundo eu ainda espero certas coisas que eu não quero mais esperar, que eu não quero mais querer. Esse tipo de situação atrapalha a vida. hunf.

Querer não querer algo é uma das coisas mais difíceis que tem.

– My name is April and i don’t get this situation anymore

.energia.

Sabe aquele negócio de que se vc está na merda, cada vez fica pior? E se vc melhora em algum aspecto da vida, tudo a volta começa a melhorar? Eu acredito nisso. Acredito muito. Em energia positiva e negativa. Umas das coisas que mais temo é mau olhado, mau agouro.

Eu ando mal, mas tento não transparecer e tento não sentir pra afastar, já deu certo e acredito que mais um empurrãozinho e fico melhor, só preciso resolver algumas coisas.

Mas a verdade é que pensei nisso pois a energia não se detém apenas em ser boa ou ruim. Já percebeu que quando vc gosta de uma pessoas acha o nome dela por aí escrito ? Pode ser um nome dificílimo, mas vc vê. E se o cara tem banda, várias coisas sobre chegam a vc, se ele faz teatro, te entregam um flyer da peça aleatoriamente, se ele é skatista vc é covidada por alguém a ir ao capeonato no anhembi e se ele é grafitteiro acontece uma conferência/palestra na sua faculdade. As coisas se atraem, tenho certeza disso.

Assim como uma amiga minha negava gostar de um certo alguém mas até gostaria, terminou com o namorado, brigou com o “amante” e jogou tudo pra cima. Achava ele um bom amigo e fofo ” não gosta e bem que queria gostar”. Hoje gosta e gol.

O mundo se conecta, e é um dos motivos pelo qual eu continuo persistindo no que quero. Consigo visualizar o futuro, é sempre mais fácil quando a gente acredita. Mesmo um tanto desiludidos.

.Audiovisual.

Nunca pensei que faria faculdade, tirando o breve período em que quis medicina, mas quando a pressão ficou grande escolhi a única coisa que me faria feliz de estudar: Audiovisual. É tudo muito complicado por  eu querer fazer outras coisas, mas enfim estou terminando meu 3º semestre. Semestre pesado em que me envolvi com dois projetos de 15 minutos que foram bastante complicados em realização. Um drama e um infantil. O drama foi bem produzido e restou apenas a canseira de longas diárias de gravações. O infantil teve alguns problemas e foi MUITO cansativo em todos os sentidos. O importante é que sexta-feira as gravações acabaram e agora faltam pequenos detalhes e tudo estará finalizado.

Mas vim aqui falar de Audiovisual (cinema, radio-tv), porque ainda existe um pré-conceito muito grande com o curso. Olham feio e nos questionam sobre o tempo de trabalho e o grau de dificuldade dele. Eu estou quebrada! Dormi 14 horas de ontem para hoje pois não dormia direito há um bom tempo. Nos dias de gravações de “Fada e Herói”, o projeto infantil, dormimos apenas 3 horas por noite. Perdi os dois grandes feriados desse ano, fiquei doente e dolorida.

Ou seja, antes de comentar sobre o trabalho de qualquer pessoas lembre-se: nada é fácil quando levamos a sério. Nenhum curso é digno de vagabundo e ninguém consegue nada sem se esforçar. Só existem aqueles que ainda sorriem após trabalhar arduamente porque sabem que escolheram a direção certa.

Eu já não posso dizer isso 100%, mas é uma questão pessoal que tem gritado mais forte. História para um próximo post.

.desapego.

Eu gostaria de desenvolver o desapego pelas coisas e pessoas. Vez ou outra fico triste por perder algum objeto, pois sou muito desligada. Mas o que dói de verdade são as pessoas. Principalmente quando você considera e tem um carinho imenso por ela. Mesmo assim o desapego é grande e não sente a minha falta. Tanto faz como tanto fez eu estar aqui ou não. Sobrevive sem mim enquanto me corrou de saudades de todos, quando espero chegar em casa e achar pistas e mensagens de que tbm sentiu minha falta. Por nada assim acontecer, quero me desapegar das pessoas e coisas. Apenas amar distantemente. Parece ser bem menos sofrido e mais fácil.

Mas me conheço e sei que no final acabará ficando apenas na vontade, porém tentarei muito me desapegar ao menos de uma pessoa.